Não erre mais: diferenças entre “há” e “a”

Gramática, semântica e fonética: diferenças entre “há” e “a”.

Essa é uma dúvida recorrente entre os estudantes de concurso. Apesar de ser uma questão muito simples da Língua Portuguesa, do ponto de vista estrutural, ela não é tão simples do ponto de vista fonético. Trata-se dos vocábulos e A.

Se você pronunciar esses dois vocábulos, não será percebida qualquer diferença entre eles, visto que o ‘h’ no início de uma palavra não tem som. O verbo ‘haver’ – conjugado na terceira pessoa do singular – e o termo ‘a’ possuem a mesma pronúncia; porém, grafias diferentes. São os chamados homônimos do tipo homófonos, ou seja, vocábulos que possuem grafia distinta, mas a pronúncia é igual.

Mesma fonética, diferente gramática

Devido a esse fenômeno de igualdade fonética (campo da fala), muitos falantes do português levam para os seus textos escritos dúvidas acerca da grafia desses vocábulos, e isso promove certamente deslizes ortográficos que, em prova, ocasionariam perda de pontos em redações e erros em questões de Gramática que exigem reconhecimento de desvios gramaticais.

A diferença entre esses vocábulos está apenas no campo da análise gramatical, por isso, vamos a ela:

Há:

– conjugação na terceira pessoa do singular do verbo ‘haver’, o qual pode significar ‘existir’, pode expressar tempo decorrido e pode ser também um verbo auxiliar de uma locução verbal. Esses são os três casos que mais aparecem em provas. Observe os exemplos.

– Há dez pessoas aguardando na fila.

Nessa frase, empregou-se o ‘haver’ com sentido de existir. Observe a possibilidade de se substituir o ‘Há’ pelo ‘Existem’.

– E há tempos são os jovens que adoecem…

Nessa frase, o verbo ‘há’ expressa tempo decorrido, o que pode ser confirmado com a sua substituição por ‘faz tempo’.

É muito comum, devido à pronúncia idêntica, em situações informais, que se encontre a seguinte frase, inadequada para a norma culta: ‘A tempos que eu não te vejo’. O correto seria ‘Há tempos eu não te vejo’.

Ele há de passar em todos os concursos.

Nessa frase, o verbo ‘há’ é um verbo auxiliar de uma locução verbal. Essa frase pode ser reescrita da seguinte forma: ‘Ele tem de passar em todos os concursos’.

A:

2. A – termo quepode pertencer basicamente a três classes gramaticais: artigo, preposição e pronome. Não se trata de um verbo, não pode ser conjugado. Observe o seu emprego nos exemplos a seguir.

– A apostila fica pronta em uma semana.

Aqui, o termo ‘a’ funciona basicamente como artigo, determinante do núcleo ‘apostila’. Nessa frase, ele é variável e se encontra no feminino por regra de concordância nominal.

– Os alunos obedecem a rigorosos regimentos.

Nessa frase, o ‘a’ é uma preposição, termo regido pelo verbo ‘obedecer’, e introduz um complemento indireto. Note que não se pode considerar artigo esse ‘a’, que antecede um termo masculino e plural.

– Aquela aluna foi aprovada e eu a encontrei no shopping.

Nesse exemplo, o ‘a’ retoma o termo ‘aluna’, por coesão, o qual foi expresso na oração anterior. Este é um dos papéis dos pronomes: o de retomar substantivos, evitando repetições no texto. Percebeu? A diferença entre os termos ‘há’ e ‘á’ reside no campo da análise. O fato de a pronúncia ser idêntica é que estabelece a confusão.

Para nunca mais errar: “Há” x “A”

Agora, para finalizar, fique com uma dica rápida acerca de um uso desses vocábulos que gera muitas dúvidas.

Há – verbo – referência ao passado.

Eles venceram esse campeonato há 2 meses.

A – preposição – referência ao futuro.

Eles estão a dois meses de vencerem o campeonato.