PC RJ prende quadrilha que pirateava cursos para concursos

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu nesta terça-feira (21) nove integrantes de uma quadrilha que pirateava cursos para concursos de diversas empresas especializadas. Os suspeitos irão responder por associação criminosa, furto qualificado, lavagem de dinheiro e crime contra a propriedade imaterial.

A quadrilha, que segundo a PCRJ atuava há mais de 20 anos, faturou mais de R$ 15 milhões com o esquema, acarretando um prejuízo de R$ 65 milhões aos cursos preparatórios. A especialidade do bando eram os conteúdos voltados aos certames das polícias civis, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Federal entre outros da área jurídica.

Cada material pirateado era vendido por valores até 90% mais em conta que o preço normal cobrado pelos cursinhos.  As pessoas que adquiriram esses conteúdos podem responder pelo crime de receptação, com pena de até quatro anos de prisão.

Um dos detidos foi Lothar Alberto Rossmann, 71 anos, responsável na quadrilha por quebrar a criptografia do streaming dos vídeos dos cursos e armazenar em nuvem própria, de onde eram vendidos para os usuários do esquema criminoso.

Os 19 mandados de prisão, busca e apreensão da operação Black Hawk foram expedidos no Rio de Janeiro, Nova Iguaçu, Niterói, São Gonçalo, Saquarema, e Araruama, Juiz de Fora (MG) e Borda da Mata (MG).