PRF solicita concurso para provimento de mais de 2,6 mil vagas



A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) encaminharam ao Ministério da Economia pedido de autorização para realização de concurso público a fim de dar provimento a 2.634 vagas para o cargo de policial rodoviário federal. A proposta da PRF é que o novo concurso contemple três turmas, a serem formadas em 2021 e 2022, com provimento dos cargos a partir de janeiro de 2022.

609 candidatos convocados

O último concurso da PRF contou com 1.779 aprovados, sendo que 1.165 concluíram o curso de formação em dezembro do ano passado e já entraram em atividade. No último dia 28 de maio, o Presidente Jair Bolsonaro assinou o Decreto 10.378 que autoriza a convocação de 609 candidatos excedentes deste atual certame. Os aprovados passarão pelo Curso de Formação Policial (CFP) na Universidade Corporativa da PRF (UNIPRF), localizada em Florianópolis/SC, no segundo semestre deste ano.

PRF teve pedido negado em 2019

A PRF havia solicitado 4,4 mil vagas em 2019 para cargos de níveis médio e superior, porém o mesmo foi indeferido pelo Ministério da Economia. Além dos concurseiros que sonham em atuar na corporação, a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) também espera por um aval positivo do governo federal.

De acordo com o diretor de Comunicação da FenaPRF, Raphael Casotti, a entidade luta constantemente pelo aumento do efetivo de policiais rodoviários federais.

“É uma pauta permanente que desenvolvemos por acreditar que o maior beneficiado é a própria sociedade brasileira. E a sociedade clama por segurança pública eficiente e de qualidade. Temos resiliência na demonstração da necessidade de se reforçar os quadros da PRF, até chegarmos a um efetivo capaz de atender integralmente a demanda em todas as rodovias e estradas federais e áreas de interesse da União”.

O sindicalista revelou que, por lei, a PRF pode ter até 13.098 policiais em atividade no país. “Estamos sempre atuando, em todos os governos, para levar essa pauta de contratação de servidores com regularidade”, garantiu. Sem a reposição de pessoal, cresce também o quantitativo de aposentadorias no órgão.

“Temos conhecimento de que a entrada do último concurso praticamente se equipara com as saídas por aposentadorias nesse período, mantendo o nível de alerta em alta, para o governo e para a sociedade, da necessidade de se manter o processo de reposição do efetivo da PRF”, sinalizou.

Falta de efetivo

Sem efetivo, a Polícia Rodoviária Federal fechou seis unidades operacionais nos últimos anos em Mato Grosso do Sul, mas a realidade não é diferente nos demais estados do país. Os postos estão localizados nos municípios de Água Clara, Sidrolândia, Terenos, Nova Casa Verde (distrito de Nova Andradina), Coxim  e Caarapó, cidade em que um posto da PRF nunca funcionou, desde que inaugurado em 2016 e localizado em região próxima da fronteira, além de utilizada como um dos maiores corredores do tráfico de drogas da América latina. É nesta mesma região, entre Caarapó e Amambai, cujo posto da PRF está fechado, que essa semana, houve uma tentativa de assalto em um carro-forte com quadrilha armada com fuzis.

Conforme o Sindicato no Estado, o déficit da PRF em MS seria de no mínimo 150 policiais. Para se ter uma ideia da gravidade, a PRF tem hoje um dos menores efetivos históricos desde o ano de 1994, ou seja há 25 anos. A consequência é o prejuízo do atendimento da sociedade e o enfrentamento ao crime. “O desejo do servidor é poder prestar atendimento no menor tempo possível e de forma qualitativa. A falta de efetivo prejudica o usuário que demanda maior tempo de espera nos casos de acidentes ou outros quaisquer tipo de auxílio; prejudica a sociedade, pois o combate aos crimes fronteiriços ficam comprometidos e prejudica os próprios servidores que se veem sendo convocados para escalas extras, além do stress pelo acúmulo de trabalho e na própria vulnerabilidade no momento em que se vê obrigado a trabalhar com menor número de agentes por plantão”, destaca o presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais de MS, Ademilson de Souza Benítez, (De Souza).

Segundo o presidente, os seis postos temporariamente fechados são ocupados apenas para fiscalizações específicas e de forma aleatória, não sendo possível o funcionamento 24h por dia das unidades. Em Dourados o Sindicato também alerta para a falta de efetivo, situação que pode causar o fechamento de unidades importantes. “Minimamente acreditamos que precisamos inicialmente trabalhar o déficit já existente que compromete outras unidades da Delegacia de Dourados para depois, em torno de mais 20 policiais buscar reabrir o posto de Caarapo”, explica. 

Sobre os concursos anuais PRF

Segundo o presidente da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), Deolindo Carniel, a promessa é que, até 2022, a corporação realize concurso para PRF com mil vagas anualmente. Durante a entrevista realizada a um canal oficial da entidade, também ressaltou sobre a importância de previsão orçamentária para novos concursos e chamadas de excedentes.

Segundo Carniel, a PRF tem o objetivo de chegar ao número de 13.098 policiais rodoviários federais, até o fim da gestão do governo Bolsonaro. Para isso ocorrer, devem ser realizados concursos para o preenchimento de mil vagas anualmente, a partir de 2020.

Além da realização de novos concursos anuais, a federação também aguarda o chamamento de excedentes do concurso anterior, antes do término da validade. Atualmente, faltam cerca de 614 candidatos esperando convocação para o curso de formação.

concurso PRF, em 2018, foi destinado a preencher 500 vagas imediatas de policial rodoviário. Em julho deste ano, uma nova portaria presidencial deu aval para a chamada de mil aprovados, sendo mais 500 excedentes.

LDO aprovada 

Em outubro, o texto final do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020 foi aprovado no Congresso Nacional. No documento, consta a autorização para a chamada dos aprovados da seleção da PRF, que está em andamento. Após apreciação do congresso, texto parte para sanção do presidente.

Inicie sua preparação agora mesmo

Uma boa referência de estudos é o edital da última seleção para agente administrativo, realizada em 2014. Sob organização da Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab), os candidatos foram submetidos a duas etapas de avaliação: prova Objetiva; Investigação Social.

Inicialmente, o concurso visava o preenchimento de 216 vagas na carreira de apoio da Polícia Rodoviária Federal. Porém, durante o prazo de validade, 477 aprovados foram nomeados. O estado com mais convocados foi o Rio Grande do Sul, com 53 nomeações. Seguido por Santa Catarina, com 42, e Minas Gerais, com 30. Para a próxima seleção a expectativa também é de muitas chamadas. 

Atualmente a remuneração do agente administrativo da PRF é de R$ 4.022,77, composta pelo vencimento, a gratificação de desempenho e auxílio-alimentação (R$ 458). Para ingressar é preciso diploma de conclusão de curso de nível médio (antigo segundo grau).

As funções do cargo podem ser exercidas na sede nacional, localizada em Brasília, ou em uma das superintendências regionais, situadas nas capitais dos estados. Abertura do concurso agora está condicionada ao aval do Governo.

Reafirmando, própria PRF já confirmou, em junho, que encaminhou ao Ministério da Economia pedido de concurso público para preenchimento de 4.435 vagas, sendo 75 para a carreira de agente administrativo.

As outras 4.360 vagas, quando autorizadas, serão para a carreira policial da PRF, de nível superior. Neste caso, os ganhos são de R$ 10.357,88.

Sobre o concurso PRF para policial

A FenaPRF luta, junto ao governo, para que a promessa seja cumprida. O representante da categoria disse, ainda, que hoje a PRF encontra-se com quase 10 mil vagas preenchidas. Essa medida, portanto, seria fundamental na luta para combater o déficit de pessoal da corporação.

“Mil policiais a cada ano a partir de 2020. Mas, para nós é muito importante que conste na LDO, e é isso que estamos trabalhando nesse momento, que haja previsão para que se possa fazer concurso em 2020 para ingresso em 2021, 2022, 2023, assim sucessivamente.”

O presidente da federação e policial rodoviário federal disse que essa, inclusive, é uma promessa do próprio presidente da República, Jair Bolsonaro. Ele garante que o novo governo federal pretende repor o efetivo legal e, dessa forma, mesmo com as aposentadorias, seria possível essa recomposição com mil vagas a cada ano.

Detalhes concurso PRF:

  • Concurso: Polícia Rodoviária Federal
  • Banca organizadora: a definir
  • Cargos: Agente Administrativo; Policial
  • Escolaridade: nível superior e médio
  • Número de vagas: 2,6 mil
  • Remuneração: até R$ 10 mil
  • Situação: SOLICITADO
  • Previsão p/ publicação do edital: 2020
  • Link do último edital Agente
  • Link do último edital Policial

DETALHES SOBRE O CONCURSO

Instituição: Polícia Rodoviária Federal
Banca organizadora: a definir
Cargos: Agente Administrativo e Policial
Escolaridade: nível superior e médio
Número de vagas: 2,6 mil
Remuneração: até R$ 10 mil
Situação: SOLICITADO
Previsão edital: 2020